Resenhada: O Outro Cão Que Guarda As Estrelas – Takashi Murakami

canva-photo-editor (28)

Se você chorou muito com o primeiro volume que conta a história do cachorrinho Happy e seu dono, já pode preparar os lencinhos para o volume 2 que sem sombra de dúvida, vai te fazer chorar mais do que o primeiro!

Fiquei bem ansiosa pelo lançamento dessa obra, e lembro que fiquei procurando por DIAS um local que estivesse disponível para venda o mais rápido possível. hahaha

O nome em Japonês da primeira história é “Futagoboshi” e logo na contra-capa você encontra a tradução literal da palavra: “Estrelas gêmeas, refere-se a duas estrelas ligadas gravitacionalmente. Esse é o caso da Sírio, a estrela mais brilhante da constelação de Cão Maior, também chamada de Estrela Binária.”

O Outro Cão Que Guarda As Estrelas conta a história do irmão de Happy, que foi abandonado na rua bem debilitado e quase sem forças para viver.
Até que uma senhorinha o encontra na rua e o leva para casa.
Essa senhorinha (gentilmente chamada de Vovó pelo cãozinho) consegue enxergar no animal a sua própria vida: prestes a acabar. Com o intuito de levar o cãozinho para casa só para ter um final decente, – e ela conseguir acabar com a sua própria agonia – Vovó nem pensa que um animalzinho como aquele pode mudar tanto os seus pensamentos em relação a vida.
Ela realmente percebe que uma companhia pode transformar sua vida, rotina, pensamentos, e coração.

O Outro Cão que Guarda As Estrelas pode ser considerado um dos mangás com melhor roteiro já escrito! Dentro dele nós temos a história da senhorinha que encontra o irmão de Happy, (“Pequeno” como gentilmente era chamado pela Vovó), e também a história de Tetsuo (lembra-se do menininho que roubava a carteira do papai de Happy no primeiro volume?). Ambas as histórias são extremamente bem feitas, e quando você chega no final do mangá parece que tudo foi detalhadamente pensado para te surpreender.

canva-photo-editor (35)

O Cão Que Guarda As Estrelas e O Outro Cão Que Guarda As Estrelas são histórias combinadas, o segundo mangá claramente é um incremento do primeiro muito bem feito. Mas você precisa prestar bastante atenção para não perder nenhum detalhe, pois as pistas são sutis, e vale a pena você ler o primeiro mais de uma vez para entender o segundo volume.

canva-photo-editor (32)

A trama foi desenvolvida com o pensamento / fala dos animais, o que da um teor maior de tristeza e inocência para alguns trechos da história.
Confesso que em vários quadros eu parei, coloquei o livrinho no colo, dei uma chorada, respirei, e voltei a ler.
A leitura é super leve, não existe complexidade, mas existe muito sentimento envolvido em cada acontecimento. Realmente eu não indico a leitura para quem estiver em um dia triste.

Confesso que no final eu chorei mais do que deveria e fui tomada pela emoção da história e dos personagens de ambas as histórias.
É uma leitura com forte apelo emocional que te faz refletir sobre os momentos bons da vida, sobre as pessoas que te rodeiam, e sobre o poder que nossos pets exercem em nossa vida e o poder que nós temos sobre a vidinha tão curta deles.
Se você leu o primeiro volume e ficou com dúvidas sobre o segundo aqui fica a minha dica: compre sem medo, é tão (se não mais) incrível quanto o primeiro volume.

canva-photo-editor (34)

Lançado pela Editora JBC em 2015, O Outro Cão Que Guarda As Estrelas é um mangá em brochura, extremamente bem feito (assim como o primeiro volume), e a capa é incrivelmente linda toda rosinha e cheia de sakuras!

Nota: 10 / 10!

Se você estava em alguma caverna, ou simplesmente não conseguiu ver o post sobre “O Cão Que Guarda As Estrelas”, você pode clicar aqui e dar uma conferida. =)

Gostou da resenha de O Outro Cão Que Guarda As Estrelas?
Não esquece de curtir, comentar, e fortalecer o trabalho da amiguinha! =)

E não me esquece nas redes-sociais! =]

Instagram: @lubismodesti
Facebook: /lulisproject

Anúncios

Resenhada – Mary E. Pearson – The Kiss Of Deception!

canva-photo-editor (9)

Lia é a Primeira Filha da Casa Real do Reino de Morringhan. Desde cedo foi doutrinada para seguir uma série de tradições e deveres. Um desses “deveres” seria se casar com o príncipe de Dalbreck – onde seu pai (Rei de Morringhan) tinha como presunção uma aliança para preservar seu reino de uma guerra.
Após assinatura de papéis, a princesa Lia foge de Morringhan e abandona o príncipe – e noivo – de Dalbreck no altar. Causando um grande desconforto entre os reinos – e o quase infarto do rei de Morringhan. Com isso, ela planta um alvo em suas costas, onde sua cabeça é o prêmio mais valioso!
Lia muda de cidade com sua fiel escudeira Pauline, mas sem saber que independente de onde ela vá, todos estão de olhos nela.

canva-photo-editor (4)

The Kiss Of Deception esta como o melhor livro que eu li no ano de 2017. Talvez eu tenha criado um hype muito alto lendo algumas resenhas onde ele foi ovacionado, e também pela arte da capa (convenhamos, essa capa é M A R A V I L H O S A ), que a Darkside caprichou e manteve como original de lançamento.
Quando comprei este livro, comprei o primeiro e segundo volumes juntos, e posso afirmar que as capas são tão maravilhosas quanto a história. Os detalhes e o cuidado que a Darkside teve com todos os volumes da série são impressionantes!
Sempre que penso em LIVRO DE VERDADE, penso na série The Kiss Of Deception: capa dura, fita de cetim para marcar as páginas, diagramação certeira, peso perfeito, mapa interno para visualização da história, e detalhes de ilustrações na troca de capítulos.

canva-photo-editor (7)
Não encontrei erros de digitação no primeiro volume, isso comprova ainda mais o capricho e cuidado que a Darkside teve com o volume.
Em alguns capítulos existem trechos dos “Últimos Testemunhos de Gaudrel”, escrita dos “antigos” da trama, onde você começa a encaixar diversas peças do quebra-cabeça dos reinos. A obra foi muito bem elaborada, Mary não deixou a desejar!

canva-photo-editor (17

O enredo é envolvendo, e os personagens são marcantes.
Kaden e Rafe são personagens enigmáticos, e que te pregam peças como se você fosse Lia. Diversas vezes me peguei com dúvidas de quem seria o assassino e quem seria o príncipe nessa história.

O emponderamento feminino é bem desenhado na trama, e a força feminina faz com que a história te envolva com uma mistura de alegria e orgulho.
O fato de Lia buscar sua liberdade e uma pessoa que realmente a ame pelo que ela é (e não por um punhado de papéis e por um porto), faz com que o romance também tenha seu espaço bem marcado.

canva-photo-editor (2)

Rico em detalhes, drama, aventura, fantasia, e romance na medida certa.
The Kiss Of Deception não me decepcionou e deixou um gostinho de quero mais.
Já terminei o segundo e terceiro volumes da trilogia, e em breve volto para contar mais sobre o destino de Lia, Kaden, e Rafe!

Nota: 10 / 10 – FAVORITEI! 

Gostou da resenha de The Kiss Of Deception?
Não esquece de curtir, comentar, e fortalecer o trabalho da amiguinha! =)

Esta resenha foi originalmente criada para o blog Estante Seletiva, você pode clicar aqui para ler a versão original!

E não me esquece nas redes-sociais! =]

Instagram: @lubismodesti
Facebook: /lulisproject

Resenhada retorna com: Austin Kleon – Mostre Seu Trabalho!

1
Depois de alguns meses eu finalmente voltei para minha terra! hahaha

Fiquei sumida por motivos de: TRABALHO, TRABALHO, TRABALHO, TRABALHO!
Para quem não sabe, trabalho com Produção. E a vida dentro de uma agência (ou algumas) não é nada fácil! Mas em outro momento eu conto os detalhes aqui no blog, porque hoje o papo é outro!

Estou participando de uma TAG literária maravilhosa chamada: Infinistante!
A Tag foi criada com a parceria da Mel (Serendipity), Lominha (Sernaiotto), e Maki (Desancorando).
Descobri o Infinistante através da linda da Mel, e já que acompanho o trabalho dela faz lá seus 5 anos, nada mais junto do que participar deste projeto lindo! =]

Sei que estou totalmente fora do prazo de publicar a resenha (que terminou no dia 28/02), mas o livro é tão incrível, o projeto é tão bacana, que não posso deixar isso aqui guardado comigo.
Juro que vou me programar melhor para os próximos posts relacionados a TAG, para seguir as regras direitinho! ❤

2

Quem me conhece sabe que tenho uma árvore genealógica de inspirações, e o Austin Kleon está claramente nela. Quem acompanha o blog provavelmente sabe que eu já fiz resenhas dos primeiros livros dele “Roube Como um Artista” e “Roube Como Um Artista – O Diário”. Quem ainda não leu, mas quer ler, pode clicar aqui, e aqui! =]

Em seu primeiro livro, Austin Kleon aborda o tema do roubo criativo. Ele te ensina em 10 capítulos a fazer um roubo de artista, e passa dicas sobre criatividade.
Considero o “Roube Como um Artista” o meu livro favorito, e que fica sempre na cabeceira da cama, na escrivaninha, ou em lugares de fácil acesso. Pois se trata de uma fonte incrível de inspiração, e deixa bem direto e claro quais caminhos devemos seguir para manter a produtividade e não cair na procrastinação.

8

Em “Mostre Seu Trabalho!”, o autor fala como mostrar seu trabalho de forma clara, sem poluição, e sem medo. Pois muitos artistas ainda possuem uma dificuldade enorme em “se vender” e cobrar por aquilo que cria.
O livro possui imagens, desenhos, frases chamativas, que tornam a leitura em algo extremamente leve, e de fácil entendimento.

Como sempre, o Austin deixou a sementinha do bem plantada na minha mente.
Como criativa, ainda tenho muita dificuldade em mostrar o meu trabalho, em parte por vergonha, e parte por aceitação. Alguns amigos sabem que faço ilustrações, mas ninguém nunca vê – por pura vergonha minha em mostrar. hahaha
Muitas pessoas sabem que tenho o blog, mas muitas vezes não passo o link com vergonha do meu conteúdo, ou também com medo do que as pessoas irão pensar sobre minhas palavras.
O Austin deixou claro em seu livro que “quem não é visto, não é lembrado”, e para ser lembrado, você precisa mostrar seu processo de criação, não só o conteúdo final.

10

Ele explica como é o processo para se promover sem virar um “spam humano”, como reagir aos trolls e não alimenta-los, como se livrar dos “vampiros de energia”, entre milhares de outras lições. Existem os tópicos complexos, e também as dicas simples (mas que muita gente não segue), como por exemplo: Use corretor nas escritas.
E claro, todas as lições de Austin contém um embasamento e fundamento explicado por trás. Ele cita pessoas, obras, momentos, e lugares. Tudo que é falado no livro tem um porque de estar ali, e uma pessoa que colaborou para que o título tivesse base e sentido.

9

Sou mega suspeita para falar, mas o livro é incrível!
Se eu pudesse, presentearia cada um dos amigos criativos com um exemplar da obra. Não só de “Mostre Seu Trabalho!”, mas também de “Roube Como Um Artista”.

Nota: 10/10.

Conheça o trabalho de Austin!

12

Tag Literária:
Fevereiro – Mostre Seu Trabalho – Austin Kleon CHECK!

E não me esquece nas redes-sociais! =]

Instagram: @lubismodesti
Facebook: /lulisproject

Resenhada: Coisas Bem Legais Para Ser Muito Feliz

PhotoGrid_1443132865824
“Mergulhe nestas páginas e deixe-se surpreender pelo mundo de Mr. Wonderful, do qual você sairá transformado e com um enorme sorriso.

Ler estas páginas é um banho de mar em pleno verão, é ficar com dor de barriga de tanto rir…
Você tem nas mãos um decálogo ilustrado sobre a felicidade explicada como quem fala com um amigo, sincero e transparente.
Coisas bem legais para ser muito feliz é o livro menos livro do mundo: é uma experiência, um sorriso, é como um espelho, um presente, é um caderno e um álbum.
Este livro é, simplesmente, um momento de alegria garantido.”

PhotoGrid_1443133232439
Autor:
Mr. Wonderful
Número de páginas: 148
Editora: L&PM Editores
Ano de publicação: 2013

PhotoGrid_1443132800253PhotoGrid_1443132746131
Coisas bem legais para ser muito feliz é um livro que atiçou o meu lado designer e me cativou a primeira vista. As cores, tipografia, imagens são tão fofas e é tudo tão delicado que você chega a dizer que é um livro de menininha.
Só que não. Esse é um livro feito por “Mr. Wonderful” (que na verdade é um casal). Angela Cabal e Javier Aracil (Angi e Javi) são bem conhecidos em Barcelona.
Eles já são do mundo da publicidade e do design, e trabalharam durante muitos anos em agências. Depois de uma bagagem bem significativa nesse ramo, decidiram mudar a vida e trabalhar em algo que eles fossem livres e criativos. Assim nasceu o Mr. Wonderful, estúdio gráfico para pessoas que não são chatas (ou “diseño gráfico para gente no aburrida“). Acho que eu me daria MEGA BEM por lá. =]

PhotoGrid_1443132413222PhotoGrid_1443132991922
Em algumas visitas a livraria, já havia me deparado com esse livro nas prateleiras e pensei que fosse um livro de auto-ajuda. A capa e as cores utilizadas dão um ar de calma e traz boas sensações para quem observa sua arte.
Mas quando você abre as páginas, se depara realmente com um livro de inspiração. Muitas frases de impacto, desenhos fofos, adesivos e MUITO AMOR!
Me apaixonei por cada página, e entendo perfeitamente o porque da marca Mr. Wonderful fazer tanto sucesso na Espanha.

PhotoGrid_1443132697629PhotoGrid_1443132550880
Quer conhecer melhor o trabalho desse casal MUITO AMOR? Eles montaram um site em português que você pode conhecer clicando aqui.
E para ficar sempre atualizado com as novidades, tem o Facebook que você pode acessar clicando aqui.

Nota: 10/10

Gostou do Resenhada de Coisas Bem Legais Para Ser Muito Feliz? Deixe seu comentário e não esquece de compartilhar com os amigos!

E não me esquece nas redes-sociais!

Instagram: @lubismodesti
Facebook: /lulisproject
SnapChat: Lubismodesti